O laço que nos une

3 de junho de 2017


Três da manhã e faz um frio de arrancar suspiros até daqueles que alegam não sentir mais nada. Estou quase vendo a luz do sol entrando pelas brechas do telhado, quase. Faltam algumas horas para isso de fato acontecer, eu sei, só que meu psicológico anseia tanto pela luz do sol que começou a imaginar uma luz que não existe, assim como eu costumava imaginar que o nosso amor era real.

Não me refiro a um amor de relacionamentos - casamento, namoro, amante - e sim de um amor num laço bem maior, a amizade. Relacionamentos - entre casais - são importantes e está fora do meu alcance falar que não, todavia, a única coisa que quero dizer quando afirmo que o laço de amizade é maior que os relacionamentos é que relacionamentos podem acabar e, querendo ou não, sempre acabam. Agora, o laço de amizade, o amor que une esse laço, aaa, por muito azar isso vai acabar algum dia, mas, por sorte, dura o pequeno infinito que estamos desfrutando da vida.

Mas, não é por ser um vínculo tão maravilhoso e forte que não pode ser enganoso, falso e capaz de quebrar um coração. Assim como nos namoros, a gente se deixa enganar e com certas "amizades" ocorre o mesmo. Isso costuma ter um custo bem alto no nosso poder de acreditar que amizades reais existem. E, eu acabei por me enganar quando conheci você. Pensei que éramos amigas de verdade, que compartilhávamos o amor desse laço e que tínhamos uma ligação, que ingênua, eu sei.

Nossa "amizade" nunca foi amizade. Foi fracasso, ódio e uma inveja oculta atrás de um amor falso. Um amor que eu, apenas eu mesma, tinha criado por ser tão carente de amizades. Eu era carente, hoje não sou mais. Hoje eu de fato compreendo o que é fazer parte de um verdadeiro laço de amizade e, puta que pariu, eu e você não estávamos nem perto disso. Éramos apenas duas conhecidas desconhecidas que desfrutavam de algo ilusório, algo que num piscar de olhos acabou por nunca ter começado.

Confesso, achei que doeria mais quando acabou. Achei que meu peito faltaria o ar e que as borboletinhas do meu estômago fossem sair voando dentro a fora. Porém, não foi isso que aconteceu. Eu aceitei tão de boa que comecei a acreditar que tudo acontece por uma razão e hoje até faço parte de um laço de amizade. Um não, dois. Sou grata por não viver mais nesse amor ilusório e só espero que você também consiga fazer parte de um laço de amizade algum dia. Até um nó, que seja, não sei, apenas quero que sinta o gosto do que é realmente fazer parte de um laço entre amigos.

6 comentários:

  1. eu adoro seu blog e adoro você. é horrível perceber que alguém não se dedicou tanto quanto você em uma relação - de namoro ou amizade

    ResponderExcluir
  2. Cada relacionamento é um aprendizado, né? E às vezes o que parece ser uma perda, na verdade descobrimos que acabamos ganhando em dobro <3

    ahamare.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu me sinto exatamente assim com algumas amizades. Aí me distanciei e realmente não senti nada de diferente, foi até melhor para ficar longe de quem me fazia mal fingindo o bem. Enfim, adorei o post!
    Beijos!

    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  4. acho que algumas pessoas passam na vida da gente pra nos fazer aprender, a quem confiar, ou não confiar, e querendo não qualquer aprendizado é valido!

    Blog Entre Ver e Viver

    ResponderExcluir
  5. Achei lindo seu texto e sua forma de escrever, parabéns! <3 Na minha opinião as vezes temos tanta carência de amizades verdadeiras que vamos na onda de pessoas onde sabemos que vamos nos machucar! <3

    Beijos
    Manoela Flores
    Hello is Manu

    ResponderExcluir
  6. Amei seu blog osntextos são simplesmente maravilhosos um melhor que o outro e esse sem duvidas, e esse em particular parecer estar muito presente nas nossas rotinas não é mesmo !

    ResponderExcluir